Exibimos propagandas pois acreditamos que todo aquele que produz conteúdo e compartilha conhecimento merece uma fatia da enorme riqueza gerada pela internet.

Gli Anni Moderni Vol. II

Coletânea de músicas italianas lançada em 1969. Mono, capa e vinil em perfeito estado, e para mim, cidadão italiano por ascendência, outro pequeno laço com o velho mundo. Vejam só, a década de 70 nem tinha começado e a capa já dá uma ideia do que viria pela frente. Imagino que pode ter causado algumas críticas. Azar de quem não gostou, né? Mas vamos às músicas...

O disco começa com Edoardo Vianello cantando "O Mio Signore". Com violinos que dão um clima especial, parece própria para uma serenata. Jimmy Fontana segue o trabalho com "Il Nostro Concerto". Lenta e triste, na minha opinião, é a pior do disco. A próxima é "Quando, Quando, Quando", por Pierfilippi. Posso estar viajando um pouco, mas parece muito uma música brasileira. Com partes apenas vocais, uma bateria rápida e algumas cordas, é bem interessante. "Il Ballo Del Mattone" vem na voz da famosa Rita Pavone, provavelmente a artista mais conhecida do disco. É uma música animada e descontraída, com destaque para a flauta que aparece em momentos certeiros. Deve ter sido um sucesso. "Piangi Con Me" é bem quadradinha e traz um clima jovem guarda. É a única do disco creditada para uma banda, chamada The Rokers. E termina a primeira parte com Alain Barriére emprestando sua voz para "Vivro (Ma Vie)". Um lamento que não empolga.

O Lado B também abre com a voz de Edoardo Vianello, dessa vez com "Guarda Come Dondolo", que tem um jeito de jovem guarda. "Se Me Vuoi Lasciare", apesar de creditada para alguém chamada Michele, é estranhamente cantada por um homem. Uma marchinha moderna, divertida. "La Ragazza di Liverpool" é animada, mas tem backing vocais femininos daqueles bem estridentes, um pouco irritantes.

O ponto alto do disco é a música Dove Non So, cantada aqui por Rita Pavone. Na verdade trata-se da famosa composição chamada Tema de Lara, (em inglês Lara's Theme) que é tema do filme Doutor Jivago. Foi escrita em 1965 por Maurice Jarre para a personagem estrelada por Julie Christie. Originalmente instrumental, além desta versão em italiano, também foi cantada em inglês, ficando com o nome Somewhere My Love. É um sucesso que todo mundo já ouviu alguma vez na vida, principalmente em bailes de casamento ou formaturas. Já foi gravada por inúmeros artistas, como André Rieu, Ray Conniff e Connie Francis. E o disco fecha com a segunda de Jimmy Fontana, "Per Una Donna", bem chorosa e dramática.

4 comentários:

  1. Sim, a capa é bemmm moderna. Gosto de música italiana, porém, prefiro a francesa. O acordeon na canção francesa é matador...Saudações e boas audições!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não posso negar que a capa é o mais me agrada nesse disco...

      Excluir
  2. A música Se me vuoi lasciare é cantada por Michele, cantor italiano, por isto mesmo a pronúncia correta é MIQUELE, que traduzida para o português é Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciao, Anônimo.
      Obrigado pela informação e pela visita!

      Excluir