Exibimos propagandas pois acreditamos que todo aquele que produz conteúdo e compartilha conhecimento merece uma fatia da enorme riqueza gerada pela internet.

E.T. O Extra Terrestre (Trilha Sonora)

Ah, que recordação! Impossível alguém que foi criança nos anos 80 não se lembrar com emoção desse filme. Steven Spielberg, John Williams e sua equipe arrebentaram no Oscar de 1983, levando o prêmio nas categorias de melhor trilha sonora, melhores efeitos especiais, melhores efeitos sonoros e melhor som.

Na Wikipedia tem informações bem legais sobre essa produção, que foi uma das maiores bilheterias da história do cinema. Inclusive sobre seu relançamento em 2002, que além de mais 5 minutos de cena e remasterização completa, também teve a substituição das armas dos agentes do FBI por walkie talkies, por entenderem que em filmes para crianças não pega bem ter armas.

Como falei em postagem anterior sobre o Rambo, como as coisas mudaram. Pra melhor, na minha opinião.


Musical Themes Hollywood U.S.A. - Jack Shaindlin & Symphony of the Air

Nesse disco o russo Jack Shaindlin conduz a orquestra Symphony of the Air. Um bom disco, lançado em 1958, tem a seguinte lista de músicas:

Theme From Anastasia
Around The World
Theme From Laura
Theme From St. Joan
Over The Rainbow
The Song From Moulin Rouge
The World Is Mine (Love Theme)
Theme From The Rains Of Ranchipur
Theme From Spellbound



Tangos - Carlos Lombardi

Não é fácil achar material sobre o Carlos Lombardi. Então peço licença para nesta postagem apenas apresentar algumas fontes sobre o artista. Uma do site Todo Tango e outra do blog Agência FM.



Berlin To Broadway - Kurt Weill

Berlin to Broadway é um musical que conta a história de seu autor, o alemão com origens judaicas Kurt Weill. Suas origens e obras quase lhe custaram a vida na mão dos nazistas. Esse disco duplo retrata sua fuga da Alemanha de Hitler. Algumas músicas tem letras escritas por outro perseguido pelo fascismo, o famoso poeta Bertold Brecht. A capa é linda, e dentro dela tem muito material sobre cada faixa. Para mais informações desse disco dá uma olhada no Discogs.



Out Of Africa (Trilha sonora)

John Barry foi o escalado para embalar esse romance lançado em 1985. Vencedor de nada menos que 7 Oscars, incluindo o de trilha sonora. Vejamos o que nos diz a Wikipedia sobre o filme.

"A história começa em 1913, na Dinamarca, quando Karen Dinesen (uma mulher rica, mas solteira) pede a seu amigo barão Bror Blixen (Klaus Maria Brandauer) para se casar por conveniência com ela. Embora Bror seja um membro da aristocracia, ele não é mais seguro financeiramente, e concorda com o casamento. Os dois planejam se mudar para a África para começar uma fazenda de gado leiteiro.

Após mudar-se para a África Oriental Britânica, Karen se casa com Bror em uma breve cerimônia, tornando-se, assim, a baronesa Blixen. Ela conhece e faz amizade com vários outros moradores coloniais do país, a maioria dos quais são britânicos. Ela também conhece Denys Finch Hatton (Robert Redford), um caçador local, com quem desenvolve uma estreita amizade. No entanto, as coisas saem de forma diferente para ela do que o previsto, uma vez que Bror usou o dinheiro para comprar uma fazenda de café em vez de uma fazenda de gado leiteiro. Ele mostra pouca inclinação ao trabalho no cafezal, e prefere tornar-se um caçador. Apesar do casamento ser por conveniência, Karen desenvolve sentimentos por Bror, e fica angustiada quando descobre seus casos extraconjugais. Para piorar a situação, Karen contrai sífilis do marido mulherengo (na época era uma doença muito perigosa), e é forçada a voltar para a Dinamarca por um longo e difícil período de tratamento com o então novo medicamento Arsfenamina. Bror concorda em cuidar da plantação em sua ausência.

Depois que ela se recupera e retorna para a África, a Primeira Guerra Mundial chega ao fim. No entanto, torna-se claro que seu casamento com o marido mulherengo não mudou, e ela acabou lhe pedindo para sair de sua casa. Sua amizade com Denys se desenvolve, e os dois finalmente se tornam amantes. No entanto, apesar de muitas tentativas frustradas de transformar seu caso em uma relação duradoura, ela percebe que Denys é tão impossível de possuir ou domar como a própria África. Denys prefere os "costumes africanos" simples de estar livre, a vida nômade da tribo Maasai na paisagem aberta, ao invés dos costumes europeus de luxo, propriedade e títulos. Embora ele se mude para a casa de Karen, ele critica o seu desejo de coisas "próprias", o que inclui até mesmo as pessoas. Ele se recusa a se comprometer com o casamento ou desistir de seu estilo de vida livre e diz a ela que ele não vai amá-la mais só por causa de um pedaço de papel. Karen relutantemente aceita a situação. Karen não pode ter filhos, devido aos efeitos da sífilis, então ela decide abrir uma escola para ensinar leitura, escrita, aritmética e também alguns costumes europeus para as crianças tribais africanos da região. No entanto, sua plantação de café vai à ruína em dificuldades financeiras, e ela é forçada a confiar em empréstimos bancários para fazer face às despesas. Embora tenha levado anos para cultivar, o plantio, finalmente, produz uma boa colheita, mas um incêndio devastador interrompe a plantação, e as colheitas e todos os equipamentos da fábrica são destruídos.

Sem dinheiro e com seu relacionamento com Denys excedendo, Karen se prepara para deixar a África para voltar para a Dinamarca, assim como a África Oriental Britânica está se tornando Quênia Britânica. Ela vende tudo o que possuía e esvazia a casa com todos os seus itens de luxo. Denys faz a última visita com a casa já vazia. Ele promete voltar em poucos dias para voar com ela a Mombasa, em seu biplano para iniciar sua viagem de volta. No entanto, Denys nunca retorna, e Karen é informada de que o avião caiu e que ele morreu no acidente. Sua perda concluída, Karen faz seu funeral nas Colinas de Ngong.

Karen mais tarde se tornou uma autora e contadora de histórias, escrevendo sobre suas experiências e letras na África. Ela nunca mais retorna a África."


Innerspace (Viagem Insólita) - Trilha Sonora

No Brasil esse filme recebeu o nome de Viagem Insólita. Lançado em 1987 é uma das centenas de filmes que teve o trabalho de Jerry Goldsmith na trilha sonora. Do alto dos meus 11 anos de idade, lembro de ter ficado alucinado com a história, que conta a miniaturização de uma pessoa que vai parar dentro do corpo de outra. Certamente sem uma boa dose de efeitos especiais não se conta uma trama dessa, e ele fizeram bem, pois ganharam o Oscar nessa categoria. 

No lado A tem figurões do porte de Rod Stewart e Sam Cooke, além de Wang Chung, Narada Michael e Berlin com suas músicas próprias. No lado B apenas as composições do Sr. Goldsmith. 



Rambo III e O Rambo do Sertão

Paródias são um tipo de arte bem peculiar. Ficam ainda mais engraçadas quando o original é bem conhecido. Eu assisti os filmes do Rambo várias vezes quando era criança. Naquela época em minha casa não tinha muito essa de não ver violência na tv. Se não eram os tirambaços do Stallone e companhia era a delicadeza da menina do Exorcista e de outros filmes de terror. Essa trilha é do filme Rambo III, lançado em 1988. O impagável Genival Lacerda fez sua versão do herói de faca e metralhadora só em 1992. Pra ver como essa série de filmes marcou uma época. Mas também convenhamos, nada mais fácil pra zoar do que um durão desse, ainda mais quando isso é feito por um mestre da gozação e do trocadilho. O Rambo do Sertão é apenas um dos mais de 70 discos cheios de bom humor que esse paraibano arretado lançou na carreira. 


Great Melodies From The Motion Pictures - Frank Hunter

Pouco ou nada se acha sobre o senhor Frank Hunter. Só sei que o que tenho dele aqui é uma pérola. Pelo menos é o que denota ao ver esse disco no Discogs.


Presentão!

Olha o presentão ganhei semana passada! Uma porção de pérolas, com destaque para clássicos e raridades da música catarinense. Meu super agradecimento á família Zunino! Esse acervo ficará muito bem cuidado.

A História de Elza (Trilha Sonora)

A wikipedia nos diz o seguinte sobre este filme: "Born Free (A História de Elsa BRA ou Uma Leoa Chamada Elsa POR) é um filme britânico de 1966 estrelado por Virginia McKenna e Bill Travers como Joy e George Adamson, um casal que adota Elsa, um filhote de leão. Quando adulta percebem que Elsa deve viver em liberdade e a preparam para viver na natureza, soltando-a em uma reserva no Quénia . O filme foi produzido pela Columbia Pictures. O roteiro, escrito por Lester Cole (sob o pseudônimo de Gerald LC Copley, baseou-se no livro de Joy Adamson 1960, Born Free. O filme foi dirigido por James Hill e produzido por Sam Jaffe e Paul Radin. O filme e sua trilha sonora por John Barry, ganharam inúmeros prêmios."


Lili, Minha Adorável Espiã (Trilha sonora)

Essa comédia musical de 1970 teve a trilha sonora assinada pelo gênio Henry Mancini. 

Na sinopse da wikipedia diz o seguinte: "Paris, durante a I Guerra Mundial. Lili Smith é uma famosa cantora popular que carrega um segredo: é uma espiã alemã, que recebe ordens do coronel Kurt Von Ruger. O coronel considera o crescimento dos aviões de combate um factor decisivo nas batalhas e assim ele ordena que Lili se torne íntima de um famoso piloto, o major William F. Larrabee, e tente arrancar dele o maior número de informações possíveis. No entanto ela logo descobre que está apaixonada por Larrabee e vê-se no meio de um problema."


Children of Sanchez - Chuck Mangione

Dá muita raiva pegar um disco abandonado a muito tempo em local não adequado e ver que o tempo detonou parte da capa. O tempo e eu, que não consegui abri-la sem rasgar uma parte que estava grudada. Pelo menos tem um belo encarte pra compensar e os discos estão muito bons. O importante é o que interessa.

O filme narra a vida de Jesús Sánchez (Anthony Quinn), um fazendeiro viúvo que tenta cuidar de sua família em uma área marginal da Cidade do México. Sanchez é um mulherengo, agressivo e trabalhador, e sente o dever de sustentar financeiramente sua família. Seu principal conflito é com sua filha, Consuelo (Lupita Ferrer), em sua tentativa de quebrar o papel de ser uma filha submissa. Consuelo é aconselhado por sua avó, Paquita (Dolores del Río), a matriarca da família. O conselho de Consuelo é casar, já que é a única maneira de escapar de seu pai misógino.